domingo, 16 de novembro de 2014

JEJUM

COMPREENDENDO O JEJUM 
- Pr. Luciano Subirá
O jejum é a abstinência total ou parcial de alimentos por um período definido e propósito específico.Tem sido praticado pela humanidade em praticamente todas as épocas, nações, culturas e religiões. Pode ser com finalidade espiritual ou até mesmo medicinal, visto que o jejum traz tremendos benefícios físicos com a desintoxicação que produz no corpo.
Mas nosso enfoque é o jejum bíblico. 
Não há regras fixas na Bíblia sobre quando jejuar ou qual tipo de jejum praticar, isto é algo pessoal. Mas a prática do jejum, além de ser recomendação bíblica, traz consigo alguns princípios que devem ser entendidos e seguidos.

A BÍBLIA ORDENA O JEJUM ?
Não. No Velho Testamento, na lei de Moisés, os judeus tinham um único dia de jejum instituído: o do Dia da Expiação (Lv 23.27 ) que também ficou conhecido como “o dia do jejum” (Jr 36.6) e ao qual Paulo se referiu como “o jejum” (At 27.9).Mas em todo o Velho e Novo Testamento não há uma única ordem acerca de jejuarmos. Contudo, apesar de não haver um imperativo acerca desta prática, a Bíblia esta cheia de menções ao jejum. Fala não apenas de pessoas que jejuaram e da forma como o fizeram, mas infere que nós também jejuaríamos e nos instrui na forma correta de faze-lo.

Mas quando consideramos o ensino de Jesus sobre o jejum, não há como negar que o Mestre esperava que jejuássemos:

Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuardes, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” (Mt 6.16-18).

Embora Jesus não esteja mandando jejuar, suas palavras revelam que ele esperava de nós esta prática. Ele nos instruiu até na motivação correta que se deve ter ao jejuar. E quando disse que o Pai recompensaria a atitude correta do jejum, nos mostrou que tal prática produz resultados!

Quando estava para ser assunto ao céu, deu ordem aos seus apóstolos que ensinassem as pessoas a guardar TUDO o que Ele tinha ordenado (Mt 28.20), inclusive o modo correto de jejuar!  O próprio Jesus praticou o jejum, e lemos em Atos que os líderes da Igreja também o faziam. Registros históricos dos pais da igreja também revelam que o jejum continuou sendo observado como prática dos crentes muito tempo depois dos apóstolos. O jejum, portanto, deve ser parte de nossas vidas e praticado de forma equilibrada, dentro do ensino bíblico.

Embora o próprio Senhor Jesus tenha jejuado por quarenta dias e quarenta noites no deserto, e muitas vezes ficava sem comer (quer por falta de tempo ministrando ao povo – Mc 6.31, quer por passar as noites só orando sem comer – Mc 6.46), devemos reconhecer que Ele e seus discípulos não observavam o jejum dos judeus de seus dias (exceto o do dia da Expiação). Era costume dos fariseus jejuar dois dias por semana (Lc 18.12), mas Jesus e seus discípulos não o faziam. Aliás chegaram a questionar Jesus acerca disto:

“Disseram-lhe eles: Os discípulos de João e bem assim os fariseus freqüentemente jejuam e fazem orações; os teus, entretanto, comem e bebem. Jesus, porém, lhes disse: Podeis fazer jejuar os convidados para o casamento, enquanto está com eles o noivo? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo; naqueles dias, sim, jejuarão.” (Lc 5.33-35).

O Mestre mostrou não ser contra o jejum, e disse que depois que Ele fosse “tirado” do convívio direto com os discípulos (voltando ao céu) eles haveriam de jejuar. Jesus não se referiu ao jejum somente para os dias entre sua morte e ressurreição/reaparição aos discípulos (ao mencionar os dias que eles estariam sem o noivo), e sim aos dias a partir de sua morte. Contudo, Jesus deixou bem claro que a prática do jejum nos moldes do que havia em seus dias não era o que Deus esperava. A motivação estava errada, as pessoas jejuavam para provar sua religiosidade e espiritualidade, e Jesus ensinou a faze-lo em secreto, sem alarde.

O jejum pode ser uma prática vazia se não for feito de maneira correta. Isto aconteceu nos dias do Velho Testamento, quando o povo começou a indagar:

“Por que jejuamos nós, e não atentas para isto? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta?” (Is 58.3a).

E a resposta de Deus foi exatamente a de que estavam jejuando de maneira errada:

“Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Eis que jejuais para contendas e para rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto.” (Is 58.3b,4).

Por outro lado, o versículo está inferindo que se observado de forma correta, Deus atentaria para isto e a voz deles seria ouvida.

O PROPÓSITO DO JEJUM

Gosto de uma afirmação de Kenneth Hagin acerca do jejum: “O jejum não muda a Deus. Ele é o mesmo antes, durante e depois de seu jejum. Mas, jejuar mudará você. Vai lhe ajudar a manter-se mais suscetível ao Espírito de Deus”
O jejum não tornará Deus mais bondoso ou misericordioso para conosco, ele está ligado diretamente a nós, à nossa necessidade de romper com as barreiras e limitações da carne. O jejum deixará nosso espírito atento pois mortifica a carne e aflige nossa alma. Jesus deixou-nos um ensino precioso acerca disto quando falava sobre o jejum:

“Ninguém põe vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho romperá os odres; e tanto se perde o vinho como os odres. Mas põe-se vinho novo em odres novos.” (Mc 2.22).

Com essa ilustração Jesus estava ensinado-nos que o vinho novo que Ele traria (o Espírito Santo) deveria ser colocado em odres novos, e o odre (ou recipiente do vinho) é nosso corpo. A Bíblia está dizendo com isto que o jejum tem o poder de “renovar” nosso corpo. A Escritura ensina que a carne milita contra o espírito, e a melhor maneira de receber o vinho, o Espírito, é dentro de um processo de mortificação da carne.

Creio que o propósito primário do jejum é mortificar a carne, o que nos fará mais suscetíveis ao Espírito Santo. Há outros benefícios que decorrerão disto, mas esta é a essência do jejum.

Alguns acham que o jejum é uma “varinha de condão” que resolve as coisas por si mesmo, mas não podemos ter o enfoque errado. Quando jejuamos, não devemos crer NO JEJUM, e sim em Deus. A resposta às orações flui melhor quando jejuamos porque através desta prática estamos liberando nosso espírito na disputada batalha contra a carne, e por isso algumas coisas acontecem.

Por exemplo, a fé é do espírito e não da carne; portanto, ao jejuar estamos removendo o entulho da carne e liberando nossa fé para se expressar. Quando Jesus disse aos discípulos que não puderam expulsar um demônio por falta de jejum (Mt 17.21), ele não limitou o problema somente a isto mas falou sobre a falta de fé (Mt 17.19,20) como um fator decisivo no fracasso daquela tentativa de libertação.

O jejum ajuda a liberar a fé! O que nos dá vitória sobre o inimigo é o que Cristo fez na cruz e a autoridade de seu nome. O jejum em si não me faz vencer, mas libera a fé para o combate e nos fortalece, fazendo-nos mais conscientes da autoridade que nos foi delegada.

Mas apesar do propósito central do jejum ser a mortificação da carne, vemos vários exemplos bíblicos de outros motivos para tal prática:

* No Velho Testamento encontramos diferentes propósitos para o jejum:
  • Consagração – O voto do nazireado envolvia a abstinência/jejum de determinados tipos de alimentos (Nm 6.3,4);

  • Arrependimento de pecados – Samuel e o povo jejuando em Mispa, como sinal de arrependimento de seus pecados (1 Sm 7.6, Ne 9.11);

  • Luto – Davi jejua em expressão de dor pela morte de Saul e Jônatas, e depois pela morte de Abner. (2 Sm 1.12 e 3.35);

  • Aflições – Davi jejua em favor da criança que nascera de Bate-Seba, que estava doente, à morte (2 Sm 12.16-23); Josafá apregoou um jejum em todo Judá quando estava sob o risco de ser vencido pelos moabitas e amonitas (2 Cr 20.3);

  • Buscando Proteção – Esdras proclamou jejum junto ao rio Ava, pedindo a proteção e benção de Deus sobre sua viagem (Ed 8.21-23); Ester pede que seu povo jejue por ela, para proteção no seu encontro com o rei (Et 4.16);

  • Em situações de enfermidade – Davi jejuava e orava por outros que estavam enfermos (Sl 35.13);

  • Intercessão – Daniel orando por Jerusalém e seu povo (Dn 9.3, 10.2,3)

* Nos Evangelhos
  • Preparação para a Batalha Espiritual – Jesus mencionou que determinadas castas só sairão por meio de oração e jejum, que trazem um maior revestimento de autoridade (Mt 17.21);

  • Estar com o Senhor – Ana não saía do templo, orando e jejuando freqüentemente (Lc 2.37);

  • Preparar-se para o Ministério – Jesus só começou seu ministério depois de ter sido cheio do Espírito Santo e se preparado em jejum (prolongado) no deserto (Lc 4.1,2);

  •  * Em Atos dos Apóstolos vemos a Igreja praticando o jejum em diversas situações, tais como:
  • Ministrar ao Senhor – Os líderes da igreja em Antioquia jejuando apenas para adorar ao Senhor (At 13.2);

  • Enviar ministérios – Na hora de impor as mãos e enviar ministérios comissionados (At.13:3);

  • Estabelecer presbíteros – Além de impor as mãos com jejum sobre os enviados, o faziam também sobre os que recebiam autoridade de governo na igreja local, o que revela que o jejum era um princípio praticado nas ordenações de ministros (At 14.23).

* Nas Epístolas só encontramos menções de Paulo de ter jejuado (2 Co 6.3-5; 11.23-27).

... continuação postagem no próximo domingo

* Luciano Subirá é pastor da Comunidade Alcance em Curitiba/PR. Ele é casado com Kelly e tem dois filhos: Israel e Lissa.O casal é discipulado pelos pastores Abe e Andrea Huber, da Igreja da Paz de Fortaleza/CE, que também são os articuladores da Visão do MDA (modelo de discipulado a um a um)
(Fonte:orvalho.com)

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Morre "Manoel de Barros"

O poeta Manoel de Barros faleceu na manhã desta quinta-feira(13/11) aos 97 anos em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ele era advogado, fazendeiro e poeta.Manoel de Barros era ocupante da cadeira número 1 da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. Ele deixou esposa, uma filha, sete netos, e cinco bisneto.

O MENINO QUE CARREGAVA ÁGUA NA PENEIRA

Tenho um livro sobre águas e meninos
Gostei mais de um menino
que carregava água na peneira.

A mãe disse que carregar água na peneira
era o mesmo que roubar um vento e
sair correndo com ele para mostrar aos irmãos.

A mãe disse que era o mesmo
que catar espinhos na água.
O mesmo que criar peixes no bolso.

O menino era ligado em despropósitos.
Quis montar os alicerces
de uma casa sobre orvalhos.

A mãe reparou que o menino
gostava mais do vazio, do que do cheio.
Falava que vazios são maiores e até infinitos.

Com o tempo aquele menino
que era cismado e esquisito,
porque gostava de carregar água na peneira.

Com o tempo descobriu que
escrever seria o mesmo
que carregar água na peneira.

No escrever o menino viu
que era capaz de ser noviça,
monge ou mendigo ao mesmo tempo.

O menino aprendeu a usar as palavras.
Viu que podia fazer peraltagens com as palavras.
E começou a fazer peraltagens.

Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.
O menino fazia prodígios.
Até fez uma pedra dar flor.

A mãe reparava o menino com ternura.
A mãe falou: Meu filho você vai ser poeta!
Você vai carregar água na peneira a vida toda.

Você vai encher os vazios
com as suas peraltagens,
e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos!
***
Manoel de Barros, um dos mais aclamados poetas contemporâneos brasileiros. Nascido em Cuiabá em 1916, Manoel de Barros estreou em 1937 com o livro “Poemas Concebidos sem Pecado”. Sua obra mais conhecida é o “Livro sobre Nada”, publicado em 1996.
Cronologicamente vinculado à Geração de 45, mas formalmente ao Modernismo brasileiro, Manoel de Barros criou um universo próprio — subvertendo a sintaxe e criando construções que não respeitam as normas da língua padrão —, marcado, sobretudo, por neologismos e sinestesias, sendo, inclusive, comparado a Guimarães Rosa.(Fonte revista bula.com)





"Do lugar onde estou, já fui embora."
1916 - 2014

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Parabéns,Renata!




É tia Renata, hoje foi o seu dia de apagar mais uma velinha.Tô vendo que a festa foi boa. Alegrias e vidas não faltaram, graças a Deus! Te desejo tudo de bom, que o Senhor te abençoe e te guarde, que a felicidade continue batendo forte no seu coração. Me perdoe por não ter ido cantar o "parabéns pra você", mas vou ser sincera e s q u e c i ... é que a "idade" vai chegando e os arquivos mentais são desarrumados, mexidos pela vida, aí a gente esquece, sabe. Mas o carinho que tenho por você, isso não muda. A oração ocupou a minha ausência. Te amamos!

Que poema de Fernando Pessoa é você?


O Guardador de Rebanhos
 (Alberto Caeiro)

“Sou um guardador de rebanhos,
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto,
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,
Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.”

“Olá, guardador de rebanhos,
Aí à beira da estrada,
Que te diz o vento que passa?

Que é vento, e que passa,
E que já passou antes,
E que passará depois.
E a ti o que te diz?

Muita cousa mais do que isso.
Fala-me de muitas outras cousas.
De memórias e de saudades
E de cousas que nunca foram.

Nunca ouviste passar o vento.
O vento só fala do vento.
O que lhe ouviste foi mentira.
E a mentira está em ti.”
(Cantos IX e X, de “O Guardador de Rebanhos”, 1914)

Alberto Caeiro foi o primeiro heterônimo a surgir – e o único a morrer (de tuberculose) por obra do seu criador. Deixava confuso Fernando Pessoa, homem da cidade, exatamente por ter enorme apego ao campo, à natureza, a ponto de ter escrito um longo poema chamado “O Guardador de Rebanhos”. Mesmo assim, Pessoa o elegeu mestre dos heterônimos. Apoiada na experiência sensorial, sua poesia procura alcançar um ideal: desaprender o foi aprendido para poder conhecer a si mesmo, ao outro e ao mundo.

&&&&

domingo, 9 de novembro de 2014

Ceia do Senhor

No momento à traição e crucificação de nosso Senhor, Ele instituiu o que ficou conhecido ao longo dos anos como a "Ceia do Senhor". A instituição da Ceia de Jesus Cristo é recordada pelos três primeiros autores do Evangelho. Mateus 26:26-29    Marcos 14:22-26    Lucas 22:17-20
"Enquanto comiam, Jesus tomou o pão deu graças, partiu-o e o deu aos seus discípulos, dizendo: "Tomem e comam; isto é o meu corpo."
Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: "Bebam dele todos vocês."
Isto é o meu sangue da aliança, que derramada em favor de muitos, para perdão de pecados.
Eu digo que, de agora em diante, não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que beberei o vinho novo com vocês no Reino do meu Pai." 
Até o primeiro domingo do próximo mês!

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Momento de Louvor



MEMÓRIA

Quero trazer à memória
Só o que pode me dar esperança
Não vou pensar em nada que me entristeça
Não vou deixar ninguém pisar nos meus sonhos
nem roubar a minha fé.

Não vou deixar que contaminem a minha mente
Não vou dar brechas, pois é isso que o inimigo quer!
mas vou ocupar a mente com as coisas lá de cima
Não vou entregar os pontos, não!
Vou dar a volta por cima.

Se tentarem contra mim, se preparem vão se arrepender!
Estou em Cristo, sou imbatível, é claro que vou vencer!
E se quiserem jogar pesado, com Deus vou prevalecer.
Estou armado, fortalecido, edificado pela Palavra de Deus.
eu tenho o escudo e a espada
Armas pesadas Deus me deu
Estou orando, vigiando e descansando em Deus.

Vou profetizar minha vitória
Eu tomo posse dela aqui e agora
E te agradeço, ó Deus!
***
"Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência."
 (1Co 13:7)

A esperança é a espera de que algo bom aconteça, e tem a sua base na fidelidade de Deus. É uma expectativa boa da vida, mas que requer de nós paciência, e sabendo em quem temos crido a nossa esperança permanece sempre viva em nossa memória. A fidelidade de Deus é que nós dá esperança de prosseguir em frente. 


FIDELIDADE

Oh! Deus de Israel, eu sei
Que não vim a este mundo pra adorar outro Rei
Os leões estão rugindo sem parar
Me louvor incomodou
A todos que são contra Ti, oh! Jeová

Na da pode intercalar o louvor do meu coração
Dos manjares eu abro mão, os palácios não quero, não
Eis-me aqui como Daniel com os olhos focados no céu
Como o risco de morrer, pois o que me importa é lhe obedecer

Senhor, não vou dividir minha adoração
Exclusivo é o meu coração
Vivo só pra ti, não abro mão do céu
Até diante da morte prefiro ser fiel.

Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo
Á sombro do Onipotente descansará
Direi do Senhor, Ele é o meu Deus
O meu refúgio, a minha fortaleza
Ele me livra do laço do passarinheiro
E da peste perniciosa
Ele me cobre com suas penas
E debaixo de suas asas estarei seguro
Eu não temo o espanto noturno
Nem seta que voe de dia
Nem peste que ande na escuridão
Nem mortandade que assole ao meio-dia
Não importa quantos caiam do meu lado
Direita, esquerda, eu sou protegido
Se eu for fiel eu moverei o céu
Ele envia anjos para nos guardar.
***
"E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo, dar-se ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões? Então Daniel falou ao rei: Ó rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, tenho cometido delito algum" (Daniel 6:20-22)

Fidelidade é confiança, é ser confiável, e Deus procura homens e mulheres fieis, com o mesmo caráter de Daniel, homem de fé e espírito excelente.E aqueles que são fieis a Deus serão honrados.


"Fecha a boca do leão Jesus
Que eu estou na cova
Não sou como Daniel
Mas quero ser fiel
E passar na prova"
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...